Tainise

Não tem tu, vai tu mesmo!

O sexo acontece junto com a vida real. O contexto afeta a nossa sexualidade muito mais do que gostaríamos, e muito além do que nos damos conta. Por isso acredito ser importante refletirmos sobre a postura que podemos adquirir diante das mudanças.

No texto Talvez, quem sabe, um ou mais orgasmos… refletimos sobre o conhecimento do próprio corpo que, eventualmente, leva aos orgasmos na relação sexual com o seu marido. Em Mulher sensual, quem a achará? também trabalhamos a importância do autoconhecimento, só que levando em conta suas emoções e nível de auto confiança. Hoje, vamos ponderar sobre conhecer as circunstâncias que afetam a intimidade sexual dos casais.

Antes de continuarmos, tenho duas observações. Não somos casadas com bonecos infláveis ou noivos virtuais, mas com homens reais que interagem conosco e são tão responsáveis pela construção do casamento quanto nós. Esse blog foi projetado para mulheres. Não se ofenda se nos meus textos não falo muito sobre o papel dos homens. Não quero que fiquem com a impressão de que a responsabilidade da intimidade sexual recai sobre as esposas. Outro lembrete é que meus textos estão incompletos, considerando que é impossível tratar de todos os assuntos ao mesmo tempo.

Conscientize-se das mudanças

Elas podem ser transformações no seu corpo ou do seu cônjuge. Você está deprimida ou entrando na menopausa? Seu marido está cansado de tanto trabalhar? Às vezes se trata da perda de um emprego ou de um filho doente. Você pode ter acabado de sair de uma casa de dois quartos para uma de um quarto só, ou pode ter se mudado para a casa de um parente. Se conscientize que o contexto mudou.

Tenha uma postura proativa

Se você não liga muito para a frequência com que faz sexo, não use as mudanças como desculpa. Se você já se importa o suficiente com a sua vida sexual, não fique desesperada com as novas limitações.  Não seja pessimista. Olhe para a dificuldade e pergunte a Deus, a si mesma e ao seu marido: Como podemos contornar esse problema? Como vamos nos ajustar? O que podemos aprender? Tenha esperança que, em breve, o contexto vai melhorar.

Vamos aos exemplos

Você teve um filho há pouco tempo e não está com um pingo de vontade. Existem limitações físicas por causa do cansaço ou desdobramentos do parto. Não abra mão do sexo e da intimidade. Faça o que der para fazer. Talvez você nunca foi muito fã de uma ‘rapidinha’, mas essa será uma ótima oportunidade para aprender uma nova forma de amar seu esposo. Não se masturbavam mutuamente desde a lua-de-mel? Tira essa carta da manga e usa, amiga. O jogo não precisa parar! Se o sexo oral não agride suas crenças religiosas e a de seu cônjuge, é hora de aperfeiçoar a técnica. Por muitos motivos você pode não ter condições nenhuma de experimentar uma penetração, nem de fazer sexo intenso, muito menos tem o luxo de esperar 15 minutos para ter um orgasmo fraco ou 30 minutos para testar uma posição nova. Foca no que vocês conseguem fazer e fiquem de boa com o que não é viável agora. Mudando de exemplo, principalmente para as recém-casadas. Menstruou? Saiba que a sua cólica e a TPM podem diminuir após o ato sexual. “Não vai sujar minha cama?”. É só forrar uma toalha grossa e escura. “Mas eu sinto nojo!”. Faça debaixo do chuveiro. “A cólica tá insuportável!!”. Bem, cada mulher sabe em quais dias o corpo dói mais ou menos, então, não precisa deixar o seu esposo sem sexo todos os dias da menstruação. “Ah, não, Tainise, durante a menstruação não rola de jeito nenhum!”. Tudo bem, então se planeje para oferecer amor extra antes e depois do período menstrual. Um último exemplo. Sua casa está muito cheia de gente, e nesse clima não rola nada, até porque você sabe que a sua porta não é à prova de som. Bem, se isso for acontecer por mais dias do que você ou seu esposo aguentam ficar sem intimidade sexual, não finjam que está tudo bem. Já pesquisaram o preço de umas horas no motel? Se frequentar um motel ofende sua fé,  considere pagar uma diária num hotel ou passar um fim de semana numa pousada. “Sem chance, não temos dinheiro para isso”. Então, eu suponho, que você também não tem dinheiro para a festa de aniversário do seu filho. Se não tem dinheiro para isso, você não pode pagar aquele encontro de casais na igreja. Se não tem dinheiro para isso, também não tem para as visitas semanais ao salão de beleza. Se não tem dinheiro, não ande de Uber! Pegue um ônibus, caminhe mais vezes, compre roupas no brechó e faça amor com seu esposo.

Planejamento

Se por qualquer motivo ficou uns dias sem visitar seu ninho de amor, não receba visitas no fim de semana. Seu marido vai viajar? Limpe a agenda ao máximo antes dele partir. Existe algum período na rotina de vocês quando um dos dois fica mais vulnerável às tentações sexuais? Priorize o sexo nessa época. Teve um ano muito ruim na cama? Melhore no ano que vem!

Circunstâncias ou Tolerância?

Há circunstâncias na vida que não podemos controlar, só contornar. Mas há muita tolerância a coisas que não deveriam ser toleradas. Se não está investindo na sua vida sexual porque está magoada com seu cônjuge, então você não precisa de uma estratégia, mas de perdão. “Mas eu vivo perdoando esse homem! Quantas vezes vou ter que perdoá-lo?” Setenta vezes sete. Sabia que o perdão é um lubrificante natural? Mulheres magoadas não conseguem fazer amor. Mesmo que façam sexo, não alcançam o orgasmo. Se, por um acaso, chegarem ao orgasmo, não alcançam a intimidade que é o propósito de Deus para o sexo conjugal e sustenta o casamento a longo prazo. Não quero de maneira alguma sugerir com isso que não haja conflitos no seu casamento que demandam tempo e esforço de ambos para serem solucionados, e alguns bem sérios, que precisam ser resolvidos. Principalmente em caso de abusos físicos e emocionais, onde a mulher não pode aceitá-los como algo normal e exigem uma postura firme. Mas estou falando das mágoas que todos os casais enfrentam no dia-a-dia, das sujeiras que empurramos para debaixo do tapete. E, nós mulheres, temos uma mania de deixar de fazer amor por cada coisinha que acontece. Às vezes, vamos perdoá-los sem que eles nos peçam perdão, e não vamos deixar a oportunidade de nos conectarmos física e emocionalmente na cama por causa disso. Eu sei que é difícil. Essa é uma das nossas debilidades femininas, e precisamos submetê-la à cruz de Cristo.

A vida passa muito rápido!

A gente gasta nosso tempo, energia e dinheiro nas coisas que são realmente importantes pra nós. Não existem desculpas para abandonar completamente o sexo conjugal. Uma coisa é se conscientizar, conversar, tentar novas formas e, no fim, se a frequência e qualidade do sexo diminuir mesmo assim, então viva o luto dessa fase e siga em frente. Essas reviravoltas acontecem muitas e muitas vezes na vida, e quanto mais cedo aprendermos a contornar as dificuldades, abrir mão das mágoas e lidar com as frustrações, quando as coisas melhorarem de novo, você logo vai perceber e desfrutar de dias melhores, ao invés de perder tempo presa no passado.

Leia outros artigos da categoria SEXO NO CASAMENTO:

Tateando Desejos http://tainise.com.br/2019/09/20/tateando-desejos/

Sedução Pura http://tainise.com.br/2019/09/11/seducao-pura/

Sentidos Redimidos http://tainise.com.br/2019/09/18/sentidos-redimidos/

Quem tem boca vai a… http://tainise.com.br/2019/12/02/quem-tem-boca-vai-a/

2 thoughts on “Não tem tu, vai tu mesmo!

  1. Que texto maravilhoso, Tainise!!! Isso se chama “Maturidade emocional.” Quero ler mais!!! Deus continue te iluminando e direcionando essa sua trajetória ” ousada e corajosa” de trabalhar com um tema, ainda tão complexo nas igrejas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: