Tainise

Discipulado inseparável da sexualidade saudável

É frustante fugir da imoralidade sexual sem ser um com o Senhor. Porque força de vontade não transforma a imoralidade dentro do coração do homem. Mas se somos íntimos do Senhor, um só com ele, fugir da imoralidade é uma consequência natural desse relacionamento com Deus. E quando desejo o que não glorifica a Deus, não fujo de Deus, pelo contrário, corro para os braços do Pai. Por isso é tão importante não nos apartar do ensino da espiritualidade enquanto ensinamos sobre sexualidade na igreja. E temos falhado nisso. Ensinamos as regras com excelência. Todo mundo sabe o que não é sexualmente apropriado, mas falhamos em ensinar sobre como desenvolver um relacionamento íntimo com Deus. E a intimidade com Ele transforma o coração. Nesse embate, muitos cristãos sinceros se afastam da comunhão com Deus e da igreja por não acreditarem que são capazes de submeter seus desejos sexuais a Jesus. E não são mesmo. Ninguém é capaz. Só através de um relacionamento diário com Cristo, a partir da obra do Espírito em nós, da renovação da mente, de emoções saudáveis, e de outras disciplinas espirituais, somos capacitados por Deus a alcançar uma sexualidade íntegra, do jeito que Deus planejou na criação. E esse processo de restauração e transformação dura uma vida inteira.
As disciplinas espirituais não nos libertam, mas nos colocam no lugar de encontro com Deus e dependência dele. Esse é o lugar onde somos transformados no interior, na fonte do pecado. Tentar vencer o pecado sem vida íntima com Deus é “viver pelas obras da carne”. Mas, fugir da imoralidade sexual porque sou um com Deus, porque estou cheio do Espírito de Deus, estou tão entregue, tão envolvido pela graça, tão dependente dele, isso é a verdadeira vitória.
Nesse contexto, fica mais fácil pedir ajuda quando sou tentado. Me submeto a Deus e ao meu discipulador. Também fica mais fácil confessar quando peco. Quem depende do Espírito para vencer o pecado não tem motivos para encobri-los. Fica mais fácil receber o perdão de Deus e seguir em frente. Fica mais fácil perdoar outras pessoas quando elas pecam.
Vamos refletir, agora, sobre os cristãos que acreditam que podem fugir da imoralidade sexual, e fogem. Pelo menos no exterior. Eles também são cristãos sinceros. Também amam ao Senhor e a sua Palavra, mas, sem perceber, estão fugindo da imoralidade sexual por determinação e força de vontade. Estão felizes porque conseguem seguir as regras. Não são promíscuos, não traem, não tem relações homossexuais, não vêem pornografia e, alguns desses, até se casaram virgens. O problema é que, como dependem de si mesmos para vencer o pecado, não conseguem ver a imoralidade escondida em seus corações. Porque, lembra, o coração é enganoso e prega peças na gente. Esse grupo não abandona a igreja. Eles adoecem dentro da igreja. São cristãos “botijão de gás”. Podem explodir a qualquer momento, pois não se encontram com Deus naquele lugar íntimo de transformação, de entrega total, de “Tem misericórdia de mim, que sou pecador!”. Por fora tá tudo bem. Por dentro a sexualidade não foi redimida, nem foi transformada. A sexualidade desse cristão foi reprimida e camuflada pelas “obras da carne”, pelo “Eu consigo!”, “Eu não tenho esse problema “, “Eu sou fiel a Jesus!”.
Não se enganem: esse blog não existe pra dar dicas de sexo. Esse blog existe pra te chamar para mais perto de Deus e do corpo de Cristo. As dicas de sexo é só um mimo de Deus para as casadas. É só Tito 2 na prática. As mulheres mais velhas precisam ensinar as mais novas. Mas o alvo de Jesus não é sua performance na cama. Ele anseia pelo seu coração. E um coração transformado vive coisas maravilhosas com Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: